segunda-feira, 4 de maio de 2009

A família Alves Pereira ou Alves Vieira - do Córrego dos Velhos

(foto da família de Joaquim e Bárbara Alves Pereira - fazenda Caracol)
Na segunda metade do século XIX, um grupo de irmãos e de irmãs, composto de primos em primeiro grau, casados entre si, mudou-se da região rural de Estrela do Sul e de Berabinha (atual Uberlândia), MG, para o Chapadão; localidade hoje dividida pelos municípios de Rio Verde, Montividiu, Paraúna e Acreúna em Goiás, e conhecida como Fazenda Estreito Ponte de Pedra.
Empobrecido e brigado com o restante da família por questões de herança, aquele grupo saiu rumo a Goiás, sem um destino preciso. Depois de dois meses fazendo estrada, literalmente, com seus carros de bois, gado, e bichos miúdos, chegaram às margens de um pequeno córrego de barrancas altas, região de cerrado e de muita água e fixou residência. Dalí, o lar de todos, saíram todos os Alves Vieira e Alves Pereira que se esgalharam, com o tempo, para Paraúna, Iporá, Cachoeira, Mineiros e além. Na Fazenda Córrego dos Velhos, – esse nome devido ao casal de idosos eremitas (e sem filhos) que morava na cabeceira do córrego, únicos vizinhos num raio de muitas léguas – foi onde nasceram todos os mais velhos e, onde a maioria casou-se. Alguns daqueles casais continuaram morando juntos, no mesmo ranchão, até morrerem e, nele, os seus filhos e filhas solteirões – muitos - também viveram e morreram. Os que se mudaram, foram para as fazendas Guariroba, Sapé, Água Tirada, Água Emendada, Queixada, Queixadinha e, mais longe um pouco, fazendas Campo Alegre e Caracol.
Neste blog tentarei trabalhar a genealogia, histórias, causos, tradições, culinária e misturas dessa família tão singular, composta de gente boa - até quando não presta – e amante da mesa farta e cheia de convidados e de passantes – ninguém nunca ficou de fora, nem os inimigos. “Come, depois a gente briga”, dizia um dos mais velhos! Banana frita com requeijão mole é a sua “comunhão”. Uma boa dose de pinga a sua fraqueza. A prosa solta e longa, brincando com as palavras e com a credulidade alheia, amolecendo tudo com o jeitão gentil, não obstante algumas caras feias, uma de suas marcas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário